contrato de aluguel

Contrato de Locação: Principais erros

Antes de formular um contrato de locação é extremamente importante estar atento para evitar erros e a falta de detalhes. O ato de revisar diversas vezes o contrato com auxílio de um especialista é essencial para evitar problemas futuros. O contrato de locação tem o intuito de assegurar a responsabilidade e todos os deveres entre duas partes envolvidas. Portanto, saber o que não deve ser feito neste documento é essencial.

 

O que não devemos fazer em um contrato de locação?

contrato-de-locação-banner-permutando

 

Multas

Não esclarecer a existência ou não de multas em casos de quebra de contrato é um erro gravíssimo. A falta desta informação pode prejudicar seriamente ambas as partes envolvidas judicialmente. Portanto, quando você estiver diante de um contrato de locação esteja ciente de todas as cláusulas e condições.

 

Falta de informações

Todos os componentes envolvidos na negociação necessitam estar no contrato de locação. O locatário, o locador e, se tiver, terceiros participando do negócio, como por exemplo o fiador. Nesse caso, todos devem conter nomes escritos junto com o RG, CPF e a profissão. Com estes dados você evita problemas e todos os envolvidos estejam em um contrato firmado.

 

Valores não descritos

Um dos erros mais comuns presentes em um contrato de aluguel é a não descrição dos valores e as formas de pagamento. O contrato de locação é a representação legal daquele imóvel e o uso dele será mediante a retribuição do dono do local.

Dica: Escreva todos os valores inclusos no contrato tanto em numeral quanto por extenso para evitar possíveis dúvidas.

 

Prazo estipulado

Um erro grave presente em muitos contratos de locação é a ausência do prazo de vigência. É importante saber que todo contrato tem liberdade para estipular o prazo total, porém é necessário que tenha pelo menos 90 dias, caso contrário ele será considerado um contrato de aluguel de temporada.

 

Quer mais dicas e informações? Continue acessando o Blog Permutando.com ou acesse o Central do Corretor!

Quer receber dicas como essa no seu e-mail? Cadastre-se abaixo e aproveite!

Contrato de Aluguel: Exigências abusivas

Se você está procurando um imóvel para morar de aluguel nos grandes centros, mas desiste devido as exigências no contrato de aluguel. Saiba o que imobiliárias e proprietários podem e não podem exigir dos inquilinos nos contratos de locação.

As exigências feitas por imobiliárias e proprietários são tamanhas que, às vezes, inviabilizam a negociação. O alto custo, localização e infraestrutura de parte dos imóveis oferecidos não passam segurança ao cliente. E durante a leitura do contrato não faltam cláusulas suspeitas que deixem o inquilino inseguro.

O que é permitido pedir dos inquilinos no contrato de aluguel?

banner-permutando-contrato-de-aluguel

Podem ser exigidos três meses de aluguel adiantados como forma de garantia?

Sim. Esta é uma obrigação do inquilino que, deve fazer o depósito de uma só vez. A vantagem para o inquilino é que ele poderá ter o dinheiro de volta com juros e correção monetária ao devolver o imóvel. Pela lei, o correto é depositá-lo em caderneta de poupança. O limite que pode ser exigido como caução é de três aluguéis.

Há casos em que o proprietário não fez o deposito na poupança e não devolveu o valor da caução ao final do contrato, ou o devolveu sem correção. Se isso ocorrer, o inquilino pode entrar com uma ação para cobrar seu dinheiro de volta e pode até pedir indenização por danos morais também.

 

Pode ser exigido que o fiador tenha imóvel na mesma cidade do imóvel alugado?

Sim. De acordo com Código Civil, o credor não é obrigado a aceitar um imóvel fora do município onde tenha de efetuar o pagamento. Também não há ilegalidade na exigência de imóvel de garantia na mesma cidade do imóvel locado.

Este é um dos maiores problemas de pessoas que se mudaram de cidade e procuram imóvel para alugar. Mas são medidas de segurança adotas por proprietários e imobiliárias para evitarem possíveis calotes neste tipo de contrato.

 

Podem ser exigidas duas ou três formas de garantia?

Não. O proprietário ou a imobiliária só podem exigir uma única forma de garantia. Aqui vai algumas dentre as diversas formas de garantias que existem e possam ser exigidas: O imóvel próprio e quitado de um fiador; o seguro-fiança (feito em seguradoras); o depósito em dinheiro (caução) ou fundo de investimento.

Quer mais dicas? Continue acessando o Blog Permutando.com!

Quer receber dicas como essa no seu e-mail? Cadastre-se abaixo e aproveite!