imovelusado

Microapartamentos: Nova tendência

O sucesso da vez no mercado imobiliário são os microapartamentos. A nova geração está mudando seu gosto de moradia, pois muitos não se incomodam de viver em um lugar menor, se for para estar mais perto de onde trabalha ou estuda.

Vários fatores os motivaram para com que muitos jovens escolhessem esse tipo de empreendimento. Um apartamento pequeno, como em alguns casos de até 18 m², acabam sendo inimagináveis para a maioria das pessoas. Porém, muitas estão priorizando isso para fugir do alto preço, principalmente na cidade de São Paulo.

Os microapartamentos costumam ser bem localizados nas grandes cidades e possuem apenas um cômodo. O custo do m² é mais caro devido à localização, mas o tamanho reduzido acaba valendo a pena o investimento. Mas a questão principal é o que está levando tantas pessoas a se mudarem para esses pequenos imóveis e, consequentemente, mudando o seu estilo de vida.

Por que microapartamentos viraram tendência?

Facilidade

A região central de São Paulo é a que mais concentra microapartamentos, seguidos pela região sul e oeste. Isso se dá ao fato de estarem próximos aos centros financeiros e grandes empresas do país. Nas grandes capitais milhares de pessoas sofrem ao enfrentarem o trânsito caótico para ir e vir do trabalho ou faculdade. Logo, muitas pessoas acabam optando pelos microapartamentos para manter-se próximas de seu destino rotineiro.

Superpopulação nas grandes cidades

Grandes cidades são as que possuem maiores concentrações de pessoas e por isso há tanta dificuldade de encontrar imóveis disponíveis. Portanto, os microapartamentos resolvem o problema de quem só desejam um lugar próximo do seu destino diário para maior comodidade.

Público Alvo

O público alvo inicial que antes era jovens estudantes ampliou-se devido ao sucesso. Hoje, este empreendimento passou a atrair casais sem filhos, casais do interior, jovens que buscam sua independência e idosos que, por não morar mais com filhos ou netos, buscam casas menores. Para estas pessoas, essa é a solução de melhor custo-benefício.

Open House: o que é e quais os benefícios?

Quando um corretor precisa impulsionar vendas ou deseja mostrar uma casa nova ou reformada para seus clientes, costuma-se realizar um Open House. Com este tipo de abordagem está se tornando cada vez mais comum, resolvemos escrever um pouco sobre esta ação que vem melhorando o desempenho de diversas imobiliárias e corretores

O que é um Open House?

O significado de Open House está presente em sua tradução livre “casa aberta”. Ou seja, todas as portas do imóvel abertas para que os possíveis clientes entrem e observem cada detalhe. É importante mostrar aos clientes ou investidores a sensação de estar naquele imóvel que, possivelmente, irão adquirir. Esta ação pode ser considerada uma das melhores iniciativa para o mercado imobiliário.

Então, quem for responsável da preparação da ação deve realiza-la de formar que todos consigam ver o imóvel detalhadamente. Preparar um pequeno “Coffee Break” para que os clientes se sintam mais confortáveis também é uma boa.

Quais são os benefícios?

Com esta ação você tem maior chance de negociar o imóvel pelo simples fato de poder estar em contato com diversos clientes, diferente das negociações normais.

Em um Open House a casa estará aberta para diversas pessoas interessadas no imóvel. Isso facilita e acelera o trabalho do corretor que ficará respondendo todos os questionamentos durante a exposição. É uma tarefa complicada por estar lidando com diversos cliente simultaneamente, mas nada que uma boa preparação não resolva.

Quais são as condições para fazer um Open House?

Não há nenhuma condição especial para realizá-lo e nem restrições do tipo de imóvel. Muitos corretores fazem um Open House quando o imóvel não recebe muitas propostas ou quando o imóvel está com preço muito abaixo do mercado.

Mesmo realizando um Open House o seu imóvel não vendeu? Pense na possibilidade de trocá-lo por outro. Caso esta possibilidade lhe agrade, cadastre seu imóvel no Permutando.com e troque-o!

Quer mais dicas? Continue acessando o Blog Permutando.com

Imóvel usado: Como avaliá-lo para a permuta

Adquirir um imóvel usado muitas vezes pode ser um caminho mais rápido e fácil do que procurar por um que ainda está na planta. Inclusive, essa é a proposta do Permutando.com através das permutas de imóveis. A partir do momento em que você troca uma casa por outra, você está adquirindo um imóvel usado, podendo ou não ser antigo, porém com mais facilidade. No entanto, alguns desses imóveis podem vir com problemas de estrutura e conservação. Nesse momento, você deve estar atento para avaliá-los da melhor maneira para que esses problemas não maiores no futuro.

Por isso, o blog do Permutando.com decidiu passar algumas dicas sobre como avaliar um imóvel usado, visto que nosso site oferece tais imóveis para os usuários.

Como avaliar um imóvel usado

Estrutura

É muito importante verificar a estrutura do imóvel. Procure por sinais mais aparentes, como colunas quebradas, rachaduras e ferragem com ferrugem. Rachaduras superficiais nas paredes não são de extrema preocupação. Fique atento às rachaduras mais profundas. Observe as colunas e vigas de sustentação e se não há quebras no concreto. Caso você note esses problemas no imóvel que você deseja permutar, prefira chamar um engenheiro para verificar a gravidade da situação.

 

 

Pisos

Em pisos laminados e vinílicos (revestidos de vinil) verifique o estado de conservação e se há desníveis, partes soltas ou rachaduras. Nos de porcelanato ou cerâmica veja se não há barulho ao andar e se não há peças quebradas, riscadas ou rachadas. Nos pisos de madeira procure por desníveis e tábuas levantadas, desgaste nas bordas das tábuas e manchas. Nesses casos todos é necessário conferir o nivelamento, para isso utilize uma régua de nível.

Instalações elétricas

Atualização das instalações elétricas podem ser necessárias. Para saber melhor quanto gastaria com isso, leve um especialista para avaliar o estado da fiação e dos bocais de lâmpadas. Se sinais como oxidação, ressecamento ou qualquer má conservação será preciso trocar tudo. Essa é uma questão de segurança então é melhor que não seja adiado. É importante observar também a condição do quadro de luz, precisando ser atual e com disjuntores separados por área do imóvel.

Hidráulica

Para a parte hidráulica você deve verificar as condições aparentes de torneiras, louças sanitárias e registros. Observe se não há corrosão ou rachaduras. Confira se nos sifões não há gotejamento. Além disso, a cor da água que sai do encanamento deve ser importante de se notar. Caso esteja muito escura e com detritos significa que o encanamento está corroído ou a caixa d’água suja.

Telhado e teto.

Confira as manchas ou sinais de mofo ou forro nos tetos e telhados. Observe o estado de conservação. Caso note que está ressecado ou quebradiço, precisará ser trocado. Atente-se ao teto da cozinha e dos banheiros e procure por infiltrações.

Avaliar um imóvel corretamente é essencial para que a permuta seja gratificante para os dois proprietários. Pois, por serem imóveis usados, podem não ter recebido uma manutenção adequada e é melhor evitar problemas estruturais maiores futuramente. Se você quiser procurar por imóveis usados e prontinhos para você, acesse o Permutando.com.